tabua_atuarial

Tábua atuarial: o vilão desconhecido

O nome pode soar estranho, mas as tábuas estão por trás dos populares planos de previdência privada. Ou seja: se você tem um investimento para aposentadoria complementar, saiba que esse instrumento é uma das referências para os cálculos de expectativa de vida feitos pelas seguradoras. Sendo assim, a tal tábua não é tão estranha e sim uma das variáveis mais importante em um plano de Previdência Privada, isto porque em alguns casos a diferença da renda Mensal pode girar em torno de 55%.

As seguradoras calculam a renda que será paga no futuro, na hora de resgatar o investimento, considerando a estimativa de quantos anos o participante do plano poderá viver. Para fazer esses cálculos, as instituições nacionais utilizavam até o ano de 2010 as tábuas de vida da população dos Estados Unidos, como as chamadas AT 49, AT 83, AT 2000 – o número nas siglas refere-se ao ano que cada uma delas foi elaborada.

Mas, no ano de 2010, as Seguradoras no Brasil elaboraram a sua própria tabua de mortalidade a BR-EMS e trouxe uma enorme diferença na renda aos consumidores Brasileiros que fizerem seus planos a partir de então, mas essa diferença foi muito negativa e reduziu o valor da renda que irão receber na sua aposentadoria.

A maioria das seguradoras e empresas de previdência privada está adotando, em seus cálculos de renda mensal vitalícia, a BR-EMS, a mais moderna das chamadas tábuas que medem a sobrevida que o segurado tende a ter a partir de determinada idade. O assunto é técnico, ligado à atuária ramo da estatística que estuda o seguro social-, parece distante do dia-a-dia, mas afeta diretamente o bolso dos clientes da previdência privada.

Tábuas mais modernas embutem maior tempo de vida média, reduzindo, consequentemente, o valor do benefício pago pelas empresas -embora outros fatores afetem os cálculos. A renda mensal vitalícia que as pessoas contratam nesses planos depende, basicamente, do montante acumulado e do número de anos que elas viverão recebendo a complementação da aposentadoria -além das taxas cobradas pelos planos etc.

Temos ainda no mercado algumas seguradoras que praticam a AT 2000 no mercado sendo um excelente e vantajoso negócio para os novos consumidores de previdência Privada, orientamos nossos clientes e amigos para não ser ater apenas na rentabilidade, mas também em qual é sua tábua atuarial.

Realizamos consultoria em previdência Privada, sem qualquer custo e avaliamos em que tábua atuarial Você se encontra.

Essa era a dica de hoje. espero que tenha gostado.

Clemon Alves
Especialista em Previdência Privada

7 ideias sobre “Tábua atuarial: o vilão desconhecido

  1. Alex Pereira

    Muito boa a matéria e falou com autoridade. Os posts estão excelentes e com uma linguagem bastante interessante a respeito do tema.

    Responder
    1. Clemon Alves Autor do post

      Prezado Alex,

      Obrigado pelas palavras, espero ajudar o nosso mercado de seguros, tão carente em profissionais nessa área de atuação.

      Abs.

      Clemon Alves

      Responder
  2. Gabriella Aguiar

    Excelente matéria! Eu gostaria de aprender a identificar qual a tabua atuarial do plano. O que devo observar? O fator de cálculo ou o excedente financeiro? Agradeço desde já!

    Responder
  3. Wolney

    Tenho 2 planos na cx vida seguros.um pgbl e um vgbl.desde 2002. AO longo d tempo houve mudanças d certificados como por ex na mudança d RF70 P RF50, q d acordo c o aumento d saldo me ofereceram uma tx d administração de 0.75 p 0.50. Só q não informaram e mudaram minha tabua antiga de AT p BR.E.MS, com isso há uma redução gde no vr da aposentadoria.gostaria d saber se é LEGAL,isso q foi feito,pois eu queria mudar d tabua,pois terei sério prejuízo n vr da aposentadoria.Como posso proceder p REVERTER isso? OBG aguardo resposta.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *